148ª Caminhada: Pelas Goelas do Mundo em Anúncio

Pedra Filosofal

Rómulo Vasco da Gama de Carvalho (Lisboa, 24 de Novembro de 1906 — Lisboa, 19 de Fevereiro de 1997) foi professor, pedagogo, investigador de História da ciência em Portugal, divulgador da ciência e poeta, sob o pseudónimo de António Gedeão. "Pedra Filosofal" (ver original) e "Lágrima de Preta" são dois dos seus mais célebres poemas.

A poesia de Gedeão é, realmente, comunicativa e marca toda uma geração que, reprimida por um regime ditatorial e atormentada por uma guerra, cujo fim não se adivinhava, se sentia profundamente tocada pelos valores expressos pelo poeta e assim se atrevia a acreditar que, através do sonho, era possível encontrar o caminho para a liberdade. É deste modo que "Pedra Filosofal", musicada por Manuel Freire, se torna num hino à liberdade e ao sonho. (in CITI)

Em minha opinião António Gedeão era uma amante das caminhadas pela natureza, tal e qual nós somos, e a sua inspiração para o poema adveio de um desses mágicos momentos. Não acreditam? Então porque razão escreveria:

"como esta pedra cinzenta
em que me sento e descanso,
como este ribeiro manso
em serenos sobressaltos,
como estes pinheiros altos
que em verde e oiro se agitam,
como estas aves que gritam
em bebedeiras de azul."


Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=CrmWc95og1M


Comentários

  1. "A Pedra Filosofal (ou Mercúrio dos Filósofos) era o principal objectivo dos alquimistas. Segundo a lenda, era um objecto que poderia aproximar o homem de Deus. Com ela o alquimista poderia transmutar qualquer metal inferior em ouro, como também obter o Elixir da Longa Vida que permitiria prolongar a vida indefinidamente."
    in Wikipedia

    ResponderEliminar

Enviar um comentário