17º Aniversário Solas Rotas

Percurso Amarelo em Valongo

Anunciamos uma caminhada no Percurso Amarelo em Valongo, e cumprimos. No dia 11 de Outubro de 2008 às 8h estávamos no início do Percurso Amarelo em Valongo. Sem mapa, partimos à aventura.

Por vezes dou comigo a reflectir, sobre quais serão os motivos de alinhar, até com algum entusiasmo, nestas caminhadas. Consegui enunciar uma lista de motivos, não necessariamente por ordem de importância: efectuar exercício físico; contacto com a natureza; contacto social, conhecer novas pessoas, tempo para família, aliviar stress. E você? Qual o seu motivo? A seu tempo efectuaremos uma sondagem para saber a sua opinião. Esta caminhada foi essencialmente, contacto com natureza e tempo para família, já que fui acompanhado do meu broder.


Iniciamos o percurso a subir um monte, sempre guiados pelas estacas de pau com faixa pintada de amarelo, que marcam o trilho. Por vezes surgem dúvidas da rota a seguir, e lá andamos nós, meio perdidos, à procura da próxima estaca. "Ali está uma". Sensação de alívio, mas não por muito tempo.

No cimo do monte, na estaca, vire a sua direita e siga por um caminho por meio da vegetação. "Alto!". Um sinal meio alienígena no chão indica algo. A marca é de cor amarela, e é composta por um círculo dentro de um triângulo. ALERTA! Não o alerta tótó, mas o alerta de poço de secção quadrangular. Nas serras de valongo, existe um complexo sistema de fojos, vazios de grande profundidade originados pelo desmonte dos filões, de onde antes extraiam o ouro durante o período da ocupação romana (mais informação). Futuramente pretendemos visitar essas galerias, devidamente acompanhados por um guia.


Depois de passar o fojo, parte das antigas explorações, deparamos com uma vista sobre o Moinhos de Cuco.A estrada que se vê ao fundo, faz parte do já percorrido Percurso Verde.


Retomamos o nosso caminho e avistamos Fragas do Castelo.

fraga
  1. rocha escarpada; penhasco; rochedo
  2. calhau grande; pedregulho
  3. superfície pedregosa com altos e baixos
(Do lat. vulg. *fraga-, «rochedo», de frangère, «quebrar»)
Fonte: Porto Editora


Avançamos com todo o cuidado, pois em caso de queda podia ser perigoso. Também é verdade que fui muito protector, reflexo dos tempos em que tomava conta do meu irmão. Ah, e já agora, também sou um pouco medricas.


Vista desde Fragas do Castelo


Vista desde Fragas do Castelo, agora sem um emplastro.


Vista à nossa esquerda a partir de Fragas do Castelo


Vista desde Fragas do Castelo. Sentamos e ficamos uns bons minutos a contemplar. De salientar que o percurso indica 45 minutos, mas demoramos mais de 2 horas, e esta vista é a principal responsável.


Rio Ferreira, a beijar Fragas do Castelo.


Rio Ferreira, perto de Fragas do Castelo. Já sei! Agora com um emplastro.


Rápidos do rio Ferreira


Fomos cedo, e durante muito tempo, contemplamos a paisagem sozinhos. Não havia ruído visual humano, mas com o avançar da hora começaram a chegar a um ritmo assinalável . "Bom dia, vão escalar?". "Sim, estamos a preparar a escalada de um grupo de miúdos". Os "miúdos", eram de uma faculdade, e estavam ali para fazer rapel, escalada, saltos para água, descida no rio e... diversos. É uma área muito utilizada para desportos radicais. Também não deixamos de reparar que havia muito lixo, principalmente nas margens do rio, mas isso é outra história a contar.



Continuamos, acompanhados de uma luz fantástica sobre as serras. Fizemos um ligeiro desvio e passamos a linha do comboio para ver xisto. Voltamos, cortamos caminho pelo meio do monte e fomos dar ao ponto de partida, para terminar esta aventura. No futuro pretendemos saber mais pormenores sobre Valongo. Já efectuamos o Percurso Amarelo, o Percurso Verde. Falta o Percurso Vermelho, o Corredor Ecológico e, uma visita as galerias subterrâneas.

Boas caminhadas.
  • Percurso Número: Não homologado
  • Nome: Percurso Amarelo
  • Concelho: Valongo
  • Tipo: Circular
  • Início: Lugar da Azenha
  • Distância: 2 Km
  • Grau: Moderado
  • Pontos de Interesse: Moinhos de Cuco; Antigas explorações; Fragas do castelo
  • Participantes SR: saos, souza
  • Dicas: Cuidado com os poços e evitar em tempo de chuva
  • Mais informação: Geologia no Verão
  • Mapa: Não disponível

Comentários

  1. muito bom adorei acho ke deviam tratar melhor deste rio passei la parte da minha enfancia muitas recordacoes ...paisagens muito lindas para turismo...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário