149ª Caminhada: Passadiços do Mondego em Anúncio

78ª Caminhada: Entre o Douro e o Tua à Lupa

Todos ao comboio, o destino é o Tua!

Como vem sendo tradição, abrimos a época com uma caminhada no Alto Douro Vinhateiro. Desta feita, um trilho não sinalizado, entre o Douro e o Tua.

Com início na estação ferroviária do Tua, muitos foram os SR que optaram por viajar de comboio. Uma viagem que prometia ser muito animada mas o João Pestana não permitiu – há fotos, dizem os fotógrafos… Encantados pelas belas paisagens ou pelo descanso da pestana, eis que alguém deu o alerta da chegada ao destino e todos conseguiram sair para terra firme. Em Roma sê Romano; em Região de vinho, há que o provar. E assim abrimos a época com um bolinho e vinho do Porto caseiro – Austrália – proveniente de Murça do Douro. Obrigada, Cristina e Andresa!

Pés ao caminho em direcção ao Rio Douro, entramos no vale de Ribalonga até chegarmos à aldeia. Desculpas e obrigado ao dono da propriedade que atravessamos, pequena pausa para hidratar. Retemperados, mais subidas e muito menos descidas, eis que chegamos à aldeia de Castanheiro. Hora de almoço, há que abastecer. Onde? Gás Mobil! E assim abancamos mesmo ali à porta da associação cultural e recreativa de castanheiro. Gentes da terra, excelente simpatia e acolhimento. Obrigada pelo Favaios fresquinho, verdadeiro “gás” para seguir caminho. Mais uns km, mais uma paragem, sempre sobre um calor intenso e trilho bastante acentuado, chegamos ao ponto mais alto da jornada –  a Capela da Sra. Boa Morte –  com vista sobre a aldeia de Tralhariz. A veia artística de alguns SR não resistiu ao palco ali edificado… palminhas, palminhas, vamos embora que o comboio não espera! – Não?!?!?! Ao sabor dos figos e ao som do “olha o comboio” e “temos de ir”, lá fomos descendo até à aldeia e posteriormente até ao rio Tua. Infelizmente o caudal já estava alto e não nos permitiu descer até à antiga linha. Plano B, descida pela aldeia do Fiolhal, novamente ao sabor dos figos mas agora ao som de “o comboio já era”, lá avistamos a estação. Eis que chega o comboio… passo acelerado dos pioneiros que rapidamente solicitaram 2 minutos, bem longos, para que todos pudessem embarcar. Final feliz, “a seco” mas todos a bordo. E sim, o comboio esperou!!!

Assim se passou um belo dia, cerca de 20km mergulhados na encantadora paisagem do alto Douro Vinhateiro, região classificada património da humanidade pela UNESCO.

Próxima estação, Caramulo. Até lá!...

Cristina Moreira, SR73




MAPA TRILHO ELEVAÇÃO
PARTIDALOCALGPSKMGRAUMAPA
2016.09.18
10:00
Estação do Tua41°12'26"N, 7°25'12"W
41.207222, -7.420000
18Difícil-
PARTICIPANTES
José Carlos, Leonel, Ana Rita, Bruno, Sílvia Matos, Agostinha Assunção, Luísa Sousa, Amália, Rocha, Agostinha, Cláudia Pontes, Elisa, José Morais, Vera, José Nadais, Stela, Cláudia Santos, Sandra Oliveira, Carla, Noémia, Luís, Fernando, Ana, Francisco, Carla Mendes, Sónia Sousa, Daniel Lopes, Miguel Machado, Manuel, Deolinda, Vítor, Maria Ribeiro, Alexandrina, Mário Santos, Gabriel, Cármen, Cristina, Andresa, Sandra, Mário, Sérgio, CatarinaSofia, Rodrigo, Mónica, Eduardo, Isabel, Victor, Catarina
( 84 / 90 )
MAIS INFORMAÇÕES
Percurso: "Entre o Douro e o Tua
Local: Alto Douro Vinhateiro
Partida/Chegada: Estação do Tua
Estacionamento: Sim
Rede Telemóvel: ?
Âmbito: Paisagístico, Cultural, Ambiental
Tipo: Circular
Sinalização: Não
Pontos Água: 5 (aldeias)
Exposição Vento/Solar: Grande
Almoço: Volante
Regras: Ler Aqui
Sugerido: Solas Rotas
Ponto Encontro: Estação do Tua
Pontos de Interesse: Estação do Tua; Aldeias Ribalonga, Castanheiro, Tralhariz, Fiolhal, Foz-Tua; Rio Douro, Rio Tua, Vinhas
Dicas: Água, Roupa adequada às condições atmosféricas; Botas; Bastão, protector solar
Reconhecimento: Sem reconhecimento

Viagem de Comboio: (Horários/Preços)

Comentários

  1. A Cristina Moreira está mais que aprovada para relatora das caminhadas dos SR. Mais uma vez uma narração Top"!

    ResponderEliminar
  2. Quase tão interessante como a própria caminhada é o deleite de ler uma descrição destas... Começamos a ficar tao bem habituados a este tipo de descrição k qd nos faltares, não será a mesma coisa. Mt obrigado Rosinha

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Eu sempre disse que a Cristina era a pessoa ideal para as descrições, e não me enganei :)
    Só não tinha a certeza que a "veia poética" fosse tão elevada.
    De facto ela elevou as descrições para um nível nunca visto anteriormente.
    PARABÉNS Cristina.

    Victor Parente

    ResponderEliminar

Enviar um comentário