sábado, 18 de novembro de 2017

91ª Caminhada: Trilho D. Nuno à Lupa

Devido aos incêndios desoladores que têm vindo a deflagrar no nosso país, fomos forçados a alterar o trilho planeado. Assim, escolhemos o trilho de D. Nuno, em Montalegre com uns pequenos ajustes para não se tornar tão longo e “fugir” de uma área atingida pelos fogos.
Chegados ao parque de lazer  do Torrão da Veiga, na vila do Salto, iniciamos a nossa caminhada e foi um saltinho até à primeira paragem na Igreja do Salto. Mais click, menos click, retomamos o trilho por caminhos e calçadas rodeadas de campos agrícolas rumo à aldeia de Reboreda, a primeira das cinco que iríamos visitar. Algum trânsito bovino teimava em não ceder passagem mas o nosso Gabilas, mesmo sem testos, tomou rédeas do assunto e abriu caminho. Já quentinhos, de subida em subida, mais um subidinha rumo ao ponto mais alto do trilho – o monte da Corneta – a 1100mt de altitude. Aqui uma pequena pausa para contemplar as vistas deslumbrantes com a serra do Gerês como pano de fundo. Daqui iniciamos a descida até à aldeia Carvalho, depois Póvoa e Amial. Neste trajeto fugimos das marcações e optamos por um pequeno corta-mato, sempre em segurança, claro, e sem grandes dificuldades. Chegados à aldeia de Corva, pausa para descanso e almoço. Nada como uma aldeia com café para almoçar com a loira fresquinha… Recompostos, voltamos ao caminho, onde fizemos a maior alteração ao “trilho oficial”. Em alternativa ao caminho que nos levaria à Sra. Dos aflitos, seguimos por um caminho, lindíssimo, de pé posto, junto à ribeira de Labaíças. Sem dúvida o troço mais bonito do trilho, uma mescla de denso arvoredo em tons de verde e outonais, parecia um bosque encantado. Este caminho levou-nos até à última aldeia do trilho, Paredes. Tempo para apreciar as casas senhoriais, infelizmente quase todas abandonadas, e conversar com alguns moradores. Pena o sol estar quase a pôr-se senão tínhamos aceitado o convite para o copinho de vinho… Daqui entramos novamente em bosque até ao ponto inicial, o parque de lazer.
Assim passamos um excelente dia, em boa companhia, num trilho de 20 km muito bonito, agradável, sem grandes dificuldades e muito rico também em património, com casas senhorias seculares, capelas oitocentistas, moinhos e fornos comunitários.
Tempo de dar as boas vindas aos novos participantes e felicitar a Stela que passou a Membro SR.
Passaportes carimbados, regresso a casa desta feita com trabalho de casa: Não esquecer do “vídeo selfie” para apresentar no jantar de Natal especial 10 anos!

Cristina Moreira, SR74













MAPA
TRILHO
ELEVAÇÃO
http://www.manteigastrilhosverdes.com/uploads/pr_5_mtg_por_v2.pdf
PARTICIPANTES CONFIRMADOS FINAL (12 NOV- 19h)
SérgioVictorFelismina, Paula, António, Mário SantosDanielFernandoVeraJoséRochaAgostinha, Stela, Leonel, Pedro, Juliana, Mário, Susana, Cristina, João, ManuelDeolindaAlbertoElsaPaulaFernando, Susana Bastos, Rui, Agostinha, São, Elsa
( 62 / 90 )
PARTIDA
LOCAL
GPS
KM
GRAU
MAPA
2017.11.12
09:00

41º 38' 23,0'' N  7º 56' 56.9'' W
41.639726   - 7.949131

 20
Médio/Alto

MAIS INFORMAÇÕES
Percurso: Trilho D. Nuno
Local: Salto, Montalegre
Partida/Chegada: Parque de Lazer do Salto
Estacionamento: Sim 
Rede Telemóvel: Sim
Âmbito: Paisagístico, Cultural, Ambiental
Tipo: Circular
Sinalização: Boa
Pontos Água:  Aldeias
Exposição Vento/Solar: Aldeias
Almoço: Volante
Regras: Ler Aqui
Sugerido: Solas Rotas
Ponto Encontro: Parque de Lazer do Salto
Pontos de Interesse: Aldeia de Reboreda, Póvoa, Amial, Corva, Paredes, 
Dicas: Água, Roupa adequada às condições atmosféricas; Botas; Bastão, Chapéu, Protector Solar
Reconhecimento: Sem reconhecimento
Outras informações: CM Montalegre
Nota: Queremos chamar a Vossa atenção, que devido aos fortes incêndios ocorridos este ano, poderá haver a possibilidade de passarmos alguma parte do trilho afectada.
AVISO IMPORTANTE: A caminhada não inclui seguro

Sem comentários:

Enviar um comentário